Unknown Unknown Author
Title: PRÉVIA DO REAPER OF SOULS: EXPLORANDO O CHARCO DE SANGUE
Author: Unknown
Rating 5 of 5 Des:
Eae galera tranquilos? Pra quem está aguardando a nova expansão de Diablo hoje trago uma prévia do conteudo vale a pena a história ta m...
Eae galera tranquilos?

Pra quem está aguardando a nova expansão de Diablo hoje trago uma prévia do conteudo vale a pena a história ta muito show.

A podridão da vida orgânica acossa os sentidos e a terra fétida cede a cada passo. Água turva borbulha ao longo das trilhas afundadas, e criaturas estranhas e violentas espreitam, longe da luz. Com a resoluta capital de Hespéria assomando na distância, é inevitável se perguntar como uma terra tão inóspita se tornou sede de uma das maiores cidades de Santuário. Sob as camadas de limo e sujeira jazem antigas ruínas de grande poder e mistério maior ainda.
O Charco de Sangue é o segundo centro de interesse na expansão Reaper of Souls. Como já falamos da fundação de Hespéria da última vez, agora vamos olhar além do véu de esqualidez inóspita do charco e explorar a história e o projeto dos tesouros maravilhosos que ali se escondem.

Essência de sangue: desenvolvendo o tema

O Charco de Sangue e as Ruínas de Corvus representam um tema bem específico: sangue. O primeiro passo ao explorar o design de qualquer área é acertar o tema de fantasia principal do ambiente. Quando pensamos em um charco pútrido, a ideia de explorar ruínas de uma civilização perdida para o lodo e a lama ficou bem evidente e permitiu que os designers tratassem o tema original de uma maneira menos óbvia: sangue em termos de linhagem.
bog_ruins_01_gliu_thumb.jpgbog_ruins_02_gliu_thumb.jpg



Um aventureiro curioso explora estruturas misteriosas.
Conversamos com o Designer de Jogo Michael Chu e ele falou das muitas maneiras nas quais esse tema é explorado em quase todas as facetas do local. "Falando do visual, dá para ver que o charco, a água, a lama, tudo parece evocar a ideia de sangue. Também há os golens de sangue, inimigos criados com magia sangrenta. Se considerarmos todas as histórias da área, vamos perceber a influência da ideia de sangue no sentido de linhagens, relações e também na acepção mais tradicional."
Bog_Cave_LH_102_thumb.jpg


O Cruzado arrasa com o inimigo em uma das cavernas do Charco de Sangue.
A linhagem dos heróis nefalem desempenha um papel importante no tema. Neste ponto da jornada, os heróis já aceitaram completamente sua linhagem e mostraram um pouco do seu potencial. Ao explorar as ruínas, restos distantes do passado ecoarão no presente, reagindo à presença de um ser que pertence ao local. Não se surpreenda se as relíquias e as defesas que jazem no charco acorrerem para ajudar você. O tema alcança até mesmo a história de Diablo no que diz respeito à inspiração. Uma das missões principais que você completará no Ato V envolve encontrar a entrada correta das Ruínas de Corvus. Os veteranos do Diablo II talvez sintam uma fisgada de familiaridade ao recordarem a busca infame da tumba no Ato II.

A cidade de Corvus e a posse de Rakkis

Muito antes de o rei Rakkis pisar na terra que se tornaria Hespéria, o Charco de Sangue era palco de uma glória inimaginável: a cidade de Corvus.
WVAOEQGQRVXN1382579368839_thumb.jpgbog_ruins_dam_gliu_thumb.jpg


Esquerda: As Ruínas de Corvus esperam para serem exploradas. Direita: Arte conceitual inicial do Charco de Sangue.
Antigamente, quando o mundo ainda estava repleto de filhos de Inárius e Lilith, Corvus se tornou uma das primeiras cidades fundadas em Santuário. Sem dúvida, uma comunidade composta apenas de nefalem era um espetáculo e tanto, e, durante muitos anos, o lugar floresceu. Após o Expurgo (descrito no Livro de Cain), Inárius sintonizou a Pedra do Mundo para diminuir o poder dos nefalem. À medida que esse poder esvanecia e os anos se passavam, os nefalem se tornavam mortais e esqueciam seu passado. Assim terminou a glória de Corvus, e a cidade também se perdeu na história com o passar dos anos.
Bog_LH_012_thumb.jpgBog_LH_004_thumb.jpg
 
Descobertas gloriosas costumam chamar atenção, e, quando Rakkis varreu o Oeste, ele encontrou as ruínas desta cidade antiga. O rei ficou fascinado pelos nefalem e o poder antigo que possuíam, e seu maior desejo passou a ser soltar esse potencial. Fundou a cidade de Hespéria ali perto, provavelmente para saciar sua curiosidade e obsessão. A atração da imortalidade em potencial convenceu Rakkis de que ele talvez fosse nefalem, mas, depois de muitos anos errando pelas ruínas da cidade, seu único consolo foi ser enterrado nela.
Bog1-sojin_thumb.jpg 
 

A corrupção se espalha

O Charco de Sangue nem sempre foi tão perigoso. A terra do local sempre foi um pântano, mas os eventos recentes expuseram o pior que havia ali. Os pantaneiros, criaturas tribais que vivem na área desde os tempos mais remotos, têm andado mais agressivos, defendendo seu território com armadilhas cada vez mais ardilosas e fortificando seus covis com atalaias e paliçadas rústicas. O pantanal verdejante de outrora virou um charco repelente que fica mais inóspito a cada dia.
Mas muitos desejam a corrupção. Pouco depois da defesa do Forte da Vigília, começaram a circular boatos sobre uma bruxa poderosa que havia chegado à área. A própria terra, conhecida pelo poder ancestral de uma cidade nefalem perdida, está repleta de magia sanguínea. Só alguém com intenções sinistras iria querer se envolver com um poder tão antigo e terrível.

BogConcept02_thumb.jpgOverViewConcept_thumb.jpgBogConcept03_thumb.jpg


A flora reflete o tema de Charco de Sangue, enquanto as ruínas que ainda restam são consumidas por ela

A jornada continua...

As Ruínas de Corvus oferecem um vislumbre do passado, enquanto o Charco de Sangue representa a jornada árdua que aguarda nossos heróis nefalem. Sangue, suor e lágrimas foram derramados nesta jornada, e as baixas continuam a se acumular. Quantos terão que morrer para o mundo ficar em paz? O que poderá parar o massacre causado por Maltael, e, mais importante, até que ponto você irá para detê-lo?
Preparado para enfrentar os desafios que o esperam? Na caixa de comentários a seguir, conte para nós a parte mais legal de explorar o Charco de Sangue, mas atenção, nefalem: esta jornada não é para corações frouxos. 
Bog_LH_016_thumb.jpg

O Cruzado defende a entrada para uma das muitas ruínas perdidas

Fonte de pesquisa e imagem:
http://us.battle.net/d3/pt/blog/13120786/

About Author

Advertisement

Postar um comentário

 
Top